Octo

Gestão de carreira: veja como oferecer um bom plano aos colaboradores

gestão de carreira
A gestão de carreira se tornou uma exigência para quem quer, de fato, crescer profissionalmente de maneira planejada e com agilidade. Crescer em um setor de mercado não significa apenas ter um maior ganho orçamentário mensal em sua empresa, mas sim saber valorizar as competências e talentos dos funcionários.
Muitas pessoas são extremamente bem qualificadas para conseguir ter um bom emprego, um salário justo e um crescimento profissional, no entanto, poucas se encontram no devido lugar que deveriam estar.
Para o desenvolvimento de todo processo de evolução, todos precisam, antes de qualquer coisa, ter um senso avaliativo e, principalmente, de planejamento da sua trajetória no setor de atuação.

Mas o que é gestão de carreira?

A gestão de carreira nada mais é que a organização de um plano de ação da área profissional de uma pessoa, buscando alavancar o seu desenvolvimento nesse setor ao valorizar as características de cada indivíduo.
Nesse sentido, caso a pessoa já esteja com um emprego, a gestão irá atuar diretamente em seu crescimento na empresa. Caso contrário, o banco de talentos irá guardar os seus dados para lhe apresentar uma oferta quando houver uma nova oportunidade.
Sendo assim, fica claro que a gestão de carreira não foca apenas no indivíduo, mas também no mercado que está ao seu redor.
Organizações empresariais adotam esse tipo de metodologia como aspecto estrutural das nomeações dos seus profissionais. Elas oferecem maneiras de avanço dos cargos, melhores remunerações ao decorrer do trabalho e cumprimento de metas, dentre outras promoções.
Assim como qualquer pessoa, todos nós temos os nossos pontos positivos e negativos e isso também é apresentado em um projeto de gestão. Mas, afinal, como é feita a gestão de carreira?

Gestão de carreira: como é feita?

Todos nós contamos com competências e incompetências quando se trata de um setor. Reconhecer as características em potencial de uma pessoa é o pontapé inicial para uma gestão de qualidade.
Para que isso seja feito, a autoavaliação deve ser realizada. O indivíduo deve ser instruído a se questionar:
  • “Qual função eu gosto de exercer?”;
  • “Em qual função eu me saio bem?”;
  • “Quais as minhas qualificações?”;
  • “Qual meu diferencial perante os demais?”;
  • “O que eu não consigo, não gosto e sou péssimo em fazer?”.
As perguntas citadas acima ajudam a construir uma autoavaliação e, consequentemente, a produção de um projeto capaz de potencializar os pontos positivos e corrigir o que há de negativo no que diz respeito à ação profissional.
Partindo para uma visão empresarial, o setor responsável, que na maioria das vezes é o RH (Recursos Humanos), costuma ter em seu banco de dados as características de capacitação de cada um dos trabalhadores da empresa, podendo, dessa maneira, integrá-los ao sistema que atenda às suas necessidades.
Obviamente, se uma pessoa está em um setor em que ela tem um grande potencial, esse setor tende a render bons resultados para a organização. Dessa forma, além de conhecer os profissionais e ajudá-los a desenvolver suas carreiras, o RH também deve focar na retenção desses talentos.
Uma boa dica para manter os profissionais engajados e motivados, minimizando as taxas de turnover, é oferecer bons benefícios como plano de saúde e odontológico, vale-alimentação, academia gratuita e outras vantagens que possam ser um diferencial competitivo no mercado.

Entrando em ação

Para entrar em ação no processo de gestão, antes de qualquer coisa, tenha conhecimento sobre os seus contratados e aplique atividades capazes de corrigir o que precisa ser melhorado em cada carreira. Caso a pessoa já esteja qualificada, observe o que há disponível para o seu setor e lembre-se que o aperfeiçoamento gera maior rendimento.
Tratando-se de uma empresa, acompanhe de forma assídua o avanço de cada colaborador em suas atividades e avalie o seu desempenho.
O RH também deve estar atento às progressões que os colaboradores oferecem. Para isso, é necessário realizar supervisões periódicas e ficar sempre atualizado sobre as mudanças que ocorrem com cada profissional contratado.
Recapitulando todos os pontos que tornam uma gestão de carreira realmente efetiva, podemos citar:
  • comece com um planejamento: é de extrema importância traçar as metas que a empresa visa alcançar, sendo realista e garantindo que elas possam ser alcançadas;
  • reúna informações: tenha em mãos todas as informações referentes às potencialidades profissionais de cada um e, caso você esteja fazendo uma autogestão, amplie os seus conhecimentos e invista em si mesmo;
  • não perca oportunidades: esteja sempre atento às oportunidades que a empresa oferece, mas seja racional. Ofereça uma oportunidade de mudança de setor para quem realmente está apto a receber essa oferta, e não por outros motivos como tempo na empresa, parentesco familiar, etc.
Um dos maiores pontos positivos que esse tipo de ação poderá trazer para a carreira de qualquer pessoa é o controle sobre ela. Dessa forma, o profissional que tem essas informações sobre si está mais preparado para conseguir um crescimento pessoal na empresa para a qual presta serviços.

Agora você está pronto!

Apostar em gestão de carreira é investir em um futuro mais promissor, com mais conhecimento, um melhor desempenho nas respectivas funções e, consequentemente, um maior destaque no mercado.
Um dos fatores que levam uma empresa a correr risco é designar pessoas despreparadas para ocupar determinados setores. Profissionais que não cuidam das suas carreiras, ou que não contam com a supervisão de gestores e líderes, tendem a ter uma instabilidade financeira no futuro.
Outro fator preocupante para as empresas que não realizam essa atividade é o baixo rendimento, podendo gerar a demissão em massa de quem realiza o trabalho de forma indevida.
Ter bons gestores em uma empresa é um fator fundamental para a sua produtividade. Dessa forma, desde as pequenas até as grandes empresas precisam desse tipo de trabalho para o bom andamento de suas atividades.
Outro ponto de atenção que pode impedir, ou pelo menos atrasar, o crescimento da empresa, são os cargos hierárquicos, que por vezes são ocupados por pessoas que não têm vocação para assumir o cargo.
Por isso, é importante ressaltar a importância da gestão de carreira, pois assim a competência será destinada a quem realmente tem identificação.
No processo de gestão de carreira, é importante ouvir e principalmente estar atento às oportunidades de mudanças que surgirão em cada setor. Assim, adote esse tipo de política de gestão e direcione as funções para as pessoas que correspondem aos perfis exigidos, dessa maneira o crescimento será mais assíduo e consistente.
Agora que você já sabe o que é gestão de carreira e como colocá-la em prática, conheça também os principais indicadores de RH e descubra como mensurá-los.

Deixe uma resposta

Fechar Menu